segunda-feira, 3 de agosto de 2009

CALVINISMO, CONFORME A REVISTA TIME, É A IDEIA QUE ESTÁ MUDANDO O MUNDO


A revista Time apontou o novo Calvinismo em terceiro lugar, na sua matéria de capa sobre as 10 Idéias transformando o mundo na atualidade(...).

Maiores informações, clique AQUI.

terça-feira, 21 de abril de 2009

BERLIM DEDICA EXPOSIÇÃO A REFORMADOR JOÃO CALVINO

BERLIM DEDICA EXPOSIÇÃO A REFORMADOR JOÃO CALVINO

Diz-se que as ideias de Calvino, reformador da igreja no século 16, inspiraram a democracia moderna e o capitalismo. Hoje, 500 anos após seu nascimento, o Museu
Histórico Alemão lhe dedica exposição em Berlim.

Com mais de 360 documentos históricos, obras de arte e objetos litúrgicos, a atual mostra de Berlim é a maior exposição na Europa durante o Ano Calvino, que marca os 500 anos do reformador nascido em 10 de julho de 1509, na cidade francesa de Noyon.

A exposição tem como foco a pessoa de Calvino e sua influência na Europa. A mostra também trata de temas como expulsão, migração e minorias — assuntos problemáticos para o continente durante diferentes épocas. O próprio Calvino foi forçado a fugir da França para a Suíça em 1535, quando a tensão religiosa levou a levantes violentos contra protestantes.

Isso aconteceu numa época em que a Europa estava dominada por monarcas e a Igreja Católica tinha grande influência tanto na política quanto na sociedade civil. E fazia apenas duas décadas que o alemão Martinho Lutero havia pregado suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, defendendo a salvação através da fé e acendendo, inadvertidamente, a centelha da Reforma Protestante.

Foi nesse contexto que Calvino desenvolveu e propagou o movimento protestante que se iniciava. Mais tarde, sua doutrina teológica ficou conhecida como calvinismo.
O nascimento do Estado sem corrupção

Em entrevista à Deutsche Welle, o teólogo católico e professor aposentado Arnold Angenendt declara que “o calvinismo influenciou decididamente a forma moderna de vida”. Segundo o teólogo, Calvino é interpretado como aquele que disse que qualquer erro é sinal de que se foi abandonado por Deus.

O calvinismo é conhecido por propagar o trabalho duro, a confiabilidade e o perfeccionismo. Angenendt explica que “a ética calvinista criou o funcionário público responsável e profissional”. Para o historiador, isso significou “o nascimento do Estado europeu”.

Um funcionário público que se comporta conforme a ética calvinista não está passível de envolvimento com a corrupção. Os países ocidentais mais influenciados por Calvino têm governos menos corruptos que seus vizinhos do Leste, afirma Angenendt.
Responsabilidades individuais

As igrejas calvinistas são caracterizadas não somente pela forte consciência ética, mas também pela organização não-hierárquica, diz em entrevista à Deutsche Welle Achim Detmers, da Igreja Luterana na Alemanha. Esta igualdade “democrática”, segundo ele, não traz somente liberdade, mas também responsabilidade.

O calvinismo não prescreve um credo universal para cada situação. Em vez disso, novas situações históricas — como o surgimento do nazismo na Alemanha dos anos de 1930 ou tempos de desigualdade econômica — requerem que fiéis leiam novamente a Bíblia e façam interpretações relevantes, diz Detmers.

A redução da influência política eclesiástica e a ênfase no papel do indivíduo são todos ensinamentos do calvinismo, que têm mais em comum com a moderna democracia europeia do que com as últimas monarquias medievais.

“Calvino defendia um democracia aristocrática. Ele defendia uma separação administrativa da Igreja e do Estado, embora quisesse assegurar que a sociedade estava embasada em princípios cristãos como Os Dez Mandamentos”, explica o teólogo alemão.

Detmers comenta que particularmente em comparação com outras doutrinas, que são organizadas mais hierarquicamente e dão menor valor à participação dos fiéis, o calvinismo oferece às sociedades “modernas” um grande potencial de inovação e reflexão.

Uma solução calvinista para a crise financeira?

O clérigo luterano adverte, no entanto, que não deve ser estabelecida uma ligação muito forte entre Calvino e o desenvolvimento da democracia moderna e do capitalismo, chamando a atenção para o papel exercido por uma série de outros fatores sociológicos e históricos neste contexto.

Se os ideais calvinistas — baseados mais no medo do que na misericórdia — tiveram uma maior influência na sociedade atual, já é uma outra questão.

Na abertura da exposição em Berlim nesta semana, o premiê holandês, Jan Peter Balkenende, salientou que a forte ética de trabalho, que é parte importante da teologia calvinista, “se transformou num sistema moral”.

À luz da atual crise econômica, seria “bom se os mercados financeiros fossem mais fortemente governados por estes princípios”, afirmou Balkenende.
Bastiões da teologia reformista

Mais de 25 milhões de pessoas fazem parte da Igreja Luterana na Alemanha, de acordo com informações da própria Igreja. Desses, dois milhões pertencem às igrejas protestantes reformadas. Outros bastiões da teologia reformista na Europa são a Suíça, a Holanda, a Hungria, a Escócia e a França.

Na Alemanha, os membros das igrejas reconhecidas pelo Estado pagam uma dízimo mensal às Igrejas Católica e Protestante. No país, a Igreja Católica conta oficialmente com 25 milhões de fiéis.

A exposição Calvinismo fica aberta até 19 de julho próximo no Museu Histórico Alemão, em Berlim.























Autora: Kate Bowen
Revisão: Soraia Vilela
Fonte: Deutsche Welle
Divulgação: www.juliosevero.com


Faça os cursos gratuitos, com certificados e pela internet de "Filosofia Reformacional”, “Administração Reformacional”, “Economia Reformacional” “Pedagogia Reformacional”, “Educação Infantil Reformada" e "Direito Reformacional" e “Namoro/Noivado/Casamento/Família Reformacional” (vários outros temas), todos focado em Aprender a Pensar com Excelência - Superando os Reducionismos do Naturalismo, Deísmo, Niilismo, Existencialismo, Securalismo, Positivismo, Panteísmo-Orientalista e Pós-Modernismo) - Solicite gratuitamente o formulário de inscrição.

SOLI DEO GLORIA / SOLA SCRIPTURA / SOLA GRATIA / SOLA FIDE / SOLUS CHRISTUS


Prof. Luis Cavalcante
Fones: (11) 3448-3124 / 9675-4019

E-mail: cavalcante@luiscavalcante.com
Site: www.luiscavalcante.com

http://sabedoriaverdadeira.blogspot.com

http://administracaoreformacional.blogspot.com

http://direitoreformacional.blogspot.com

http://economiareformacional.blogspot.com

http://iber-ipo.blogspot.com

http://luis-cavalcante.blogspot.com

sábado, 21 de fevereiro de 2009

CALVINO E A EDUCAÇÃO

CALVINO E A EDUCAÇÃO

Verdade e Pluralidade - Introdução

Todos os que chegam à Universidade a cada ano logo se apercebem da pluralidade de entendimentos, concepções e valores que marcam o ambiente universitário. Embora a diversidade esteja presente em sua vida muito antes de se tornar um universitário, é aqui na Academia que o estudante sentirá mais de perto a sua força.

A pluralidade é um dos conceitos ícones da nossa geração, uma das marcas da moderna Universidade. Como tal, requer a nossa atenção, especialmente pelo fato de sermos uma Universidade confessional. Ainda que a pluralidade seja considerada como um dos postulados mais bem estabelecidos da nossa era, é saudável refletirmos sobre sua natureza, efeitos e desafios.

1) Pluralidade na Universidade

Embora o ensino superior exista desde a Antiguidade, a Universidade moderna teve suas origens na Europa do séc. XII, conforme a opinião mais aceita, e deve sua forma atual às universidades de Bolonha, Paris e Oxford, que surgiram durante o século XIII. Apesar de ter sofrido influências e transformações oriundas da Renascença, da Reforma e do Iluminismo, a Universidade permaneceu basicamente a mesma e é uma das instituições mais antigas e estáveis do mundo ocidental.

As universidades medievais surgiram graças a diferentes fatores, como atender à crescente demanda de pessoas em busca de educação, o desejo idealista de obter conhecimento, a resistência ao monopólio do saber pelos mosteiros, a vitalidade das escolas mantidas pelas catedrais e o desejo de reformar o ensino. Todavia, elas tinham um objetivo comum, uma mesma missão, que era a busca do conhecimento unificado que permitisse a compreensão da realidade.

Universitas, na Idade Média, era um termo jurídico que, empregado para as escolas, significava um grupo inteiro de pessoas engajadas em ocupações científicas, isto é, professores e alunos. Só mais tarde o termo viria a significar uma instituição de ensino onde essas atividades ocorriam. Tal designação já aponta para a tarefa que pessoas diferentes tinham em comum: a busca da verdade em meio à pluralidade de compreensões. Esse alvo requeria uma síntese das diferentes visões e compreensões de mundo, um campo integrado que desse sentido aos mais diversos saberes. O princípio subjacente à criação das universidades, portanto, era a procura das verdades universais que pudessem unir as diferentes áreas do conhecimento. Daí o nome “universidade”.

Quando as universidades medievais surgiram, a cosmovisão cristã que dominava a Europa fornecia os pressupostos para essa busca da unidade do conhecimento. Hoje, a visão cristã de mundo é excluída a priori em muitas universidades modernas pelos pressupostos naturalistas, humanísticos e racionalistas que passaram a dominar o ambiente acadêmico depois do Iluminismo. Tais pressupostos não têm conseguido até o presente suprir uma base comum para as diferentes áreas do saber. A fragmentação do conhecimento tem sido um resultado constante na Academia, como se as diferentes disciplinas tratassem com mundos distintos e contraditórios.

Lamentavelmente, hoje, muitas universidades viraram multiversidades ou diversidades, abandonando a busca de um todo coerente, de uma cosmovisão que dê sentido e relacionamento harmônico a todos os campos de conhecimento. Esse fenômeno se verifica primariamente na área das ciências humanas; todavia, nem mesmo a área das exatas lhe é totalmente imune, como testemunham as diversas percepções, por vezes conflitantes entre si, na matemática, física e química.

Conforme Allan Harman escreve:

As universidades em geral não mais possuem um fator integrador. A palavra “universidade” tem a idéia de unidade de conhecimento ou de abordagem. Derivada do latim “universum” refere-se à totalidade ou integração. Claramente o conceito era de que, dentro de uma universidade, havia aderência a uma base comum de conhecimento que interligava o ensino em todas as escolas.
Edgar Morin, intelectual francês contemporâneo, percebe corretamente essa fragmentação do conhecimento e da educação nas diversas obras que tem publicado.

Para ele,

... o sistema educativo fragmenta a realidade, simplifica o complexo, separa o que é inseparável, ignora a multiplicidade e a diversidade... As disciplinas como estão estruturadas só servem para isolar os objetos do seu meio e isolar partes de um todo. Eliminam a desordem e as contradições existentes, para dar uma falsa sensação de arrumação. A educação deveria romper com isso mostrando as correlações entre os saberes, a complexidade da vida e dos problemas que hoje existem.

2) Entendendo a Pluralidade

É evidente que existe uma grande pluralidade ou diversidade no mundo. A criação de Deus é plural, a humanidade feita à imagem dele é plural, as culturas são plurais, as idéias são plurais. Há uma enorme e fascinante diversidade na realidade que nos cerca. Para nós, essa impressionante variedade da existência revela a riqueza, o poder e a criatividade de Deus, conforme a Bíblia registra no Salmo 104.24,

Que variedade, Senhor, nas tuas obras!
Todas com sabedoria as fizeste;
cheia está a terra das tuas riquezas.

Tal entendimento em nada compromete nossa busca na academia por verdades absolutas e universais. As dificuldades surgem quando se confunde pluralidade com relativismo radical e absoluto. Esse último nega os conceitos de unidade, igualdade, harmonia e coerência que existem no mundo, entre idéias, pessoas e culturas. O relativismo total pretende desconstruir o princípio implícito de verdade absoluta, de valores, conceitos e idéias que sejam válidos em qualquer lugar e a qualquer tempo. Nesse sentido, a pluralidade se confunde com o relativismo que domina a mentalidade contemporânea, sendo entendida como a convivência de idéias e concepções contraditórias que devem ser igualmente aceitas, sem o crivo do exame da veracidade e sem que uma prevaleça sobre a outra, visto serem consideradas todas verdadeiras.

Para nós, que somos uma Universidade que se orienta por um conjunto de fundamentos – no caso, a fé cristã reformada –, a pluralidade, entendida como diversidade, é muito bem-vinda. A enorme variedade que caracteriza nosso mundo não anula de forma alguma a existência de verdades gerais e universais. Quando, todavia, a pluralidade é entendida como relativismo total ou sistema de contradições igualmente válidas, precisamos analisar o assunto com mais cuidado.

3) Desafios da Pluralidade

O relativismo absoluto gera diversos problemas de natureza prática, como, por exemplo, a dificuldade de se viver o dia a dia de forma coerente com a crença de que tudo é relativo. Mesmo os relativistas mais radicais são obrigados a capitular diante da inexorável realidade: a vida só pode ser organizada e levada à frente com base em princípios, valores e leis universais que sejam observados e reconhecidos por todos. Concordamos com Edgar Morin quanto à sua percepção da complexidade da vida e da existência . Todavia, entendemos que o reconhecimento de que todas as áreas de atividades e conhecimento são complexamente interligadas reflete um propósito unificado e uma origem única, apontando para o Criador. É evidente que essa interligação das partes com o todo, e vice-versa reforça a possibilidade de se buscar princípios e valores universais que permeiam e regulam o universo de conexões e aderências.

Dificilmente o ser humano consegue conviver em paz com o relativismo absoluto. Existe uma busca interior em cada indivíduo por coerência, síntese e unidade de pensamento, sem o que não se pode encontrar sentido na realidade, um lugar no mundo e nem mesmo saber por onde caminhar. Acreditamos que este ímpeto é decorrente da imagem de Deus no homem, um Deus de ordem, de propósitos, coerente e completo.

Para muitos, o ideal do pluralismo de idéias no ensino significa simplesmente que a Universidade deveria ser o local neutro onde todas as idéias e seus contraditórios tivessem igualdade de expressão, cabendo aos alunos uma escolha, ou não, daquelas que lhe parecerem mais corretas. Todavia, conforme bem escreveu Robert P. Wolff, a neutralidade da Universidade diante dos valores é um mito. É inevitável o posicionamento ideológico diante das questões da vida e do conhecimento. Esse ponto é inclusive reconhecido, ainda que timidamente, pela Lei de Diretrizes e Bases, quando define as universidades confessionais como aquelas que “atendem a orientação confessional e ideologia específicas.”

4) Verdade

As universidades de orientação confessional cristã há muito têm procurado desenvolver um modelo acadêmico em que a busca da verdade seja feita a partir da visão de mundo cristã em constante diálogo com a pluralidade de idéias e com a diversidade de visões e entendimentos. Não é tarefa fácil diante do mundo pluralista em que vivemos, a ponto de que alguns têm defendido que as próprias universidades confessionais desistam desse ideal.

Diante do quadro de fragmentação do saber e do relativismo que domina, em várias instâncias, a mentalidade universitária, afirmamos a existência, a realidade e a importância da verdade, de conceitos que são universalmente válidos em todas as áreas do conhecimento e da vida. Aqui, afirmamos as seguintes “verdades sobre a verdade":

1. A verdade é descoberta e não inventada. Ela existe independentemente do conhecimento que uma pessoa tenha dela. Ela existe fora de nós e não somente dentro de nós.

2. A verdade é transcultural. Se algo é verdadeiro, será verdadeiro em todas as culturas e tempos, ainda que sua expressão possa variar de acordo com o ambiente vivencial das pessoas.

3. A verdade é imutável, embora a nossa crença sobre ela possa mudar. Ela permanece a mesma, o que é relativo é nossa percepção dela.

4. As crenças das pessoas não podem mudar a verdade, por mais honestas e sérias que sejam.

5. A verdade não é afetada pela atitude de quem a professa ou de quem a nega.

Conclusão

Reconhecemos a diversidade e a complexidade das idéias, conceitos, costumes e valores existentes. Questionamos, todavia, que a pluralidade implica na total relativização da verdade. Afirmamos a existência de idéias e valores absolutos, princípios e verdades espirituais, éticas, morais, epistemológicas universais.

Cremos que o Cristianismo bíblico fornece o fundamento para a compreensão da realidade como um todo coerente, sempre levando em conta a fabulosa variedade da existência humana.

Encorajamos os alunos, os professores e o pessoal administrativo do Mackenzie a refletir sobre o fato de que a pluralidade, entendida como saudável diversidade, dentro de referenciais e sem a negação da verdade, enriquece o conhecimento humano e leva à melhor percepção de nós mesmos, de nosso mundo e de nosso Criador.

Rev. Dr. Augustus Nicodemus Lopes
Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie


FONTE: http://www.mackenzie.br/ano2007000.html

Prof. Luis Cavalcante - http://luis-cavalcante.blogspot.com

domingo, 1 de fevereiro de 2009

PROVÉRBIOS 01 (NVI)

Propósito

1 Estes são os provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel.
2 Eles ajudarão a experimentar a sabedoria e a disciplina; a compreender as palavras que dão entendimento;
3 a viver com disciplina e sensatez, fazendo o que é justo, direito e correto;
4 ajudarão a dar prudência aos inexperientes e conhecimento e bom senso aos jovens.
5 Se o sábio lhes der ouvidos, aumentará seu conhecimento, e quem tem discernimento obterá orientação
6 para compreender provérbios e parábolas, ditados e enigmas dos sábios.
7 O temor do SENHOR é o princípioa do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina.

Advertências da Sabedoria

8 Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe.
9 Eles serão um enfeite para a sua cabeça, um adorno para o seu pescoço.
10 Meu filho, se os maus tentarem seduzi-lo, não ceda!
11 Se disserem: “Venha conosco; fiquemos de tocaia para matar alguém, vamos divertir-nos armando emboscada contra quem de nada suspeita!
12 Vamos engoli-los vivos, como a sepulturab engole os mortos; vamos destruí-los inteiros, como são destruídos os que descem à cova;
13 acharemos todo tipo de objetos valiosos e encheremos as nossas casas com o que roubarmos;
14 junte-se ao nosso bando; dividiremos em partes iguais tudo o que conseguirmos!”
15 Meu filho, não vá pela vereda dessa gente! Afaste os pés do caminho que eles seguem,
16 pois os pés deles correm para fazer o mal, estão sempre prontos para derramar sangue.
17 Assim como é inútil estender a rede se as aves o observam,
18 também esses homens não percebem que fazem tocaia contra a própria vida;armam emboscadas contra eles mesmos!
19 Tal é o caminho de todos os gananciosos; quem assim procede a si mesmo se destrói.

Convite à Sabedoria

20 A sabedoria clama em alta voz nas ruas,ergue a voz nas praças públicas;
21 nas esquinas das ruas barulhentasc ela clama, nas portas da cidade faz o seu discurso:
22 “Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos,até quando desprezarão o conhecimento?
23 Se acatarem a minha repreensão, eu lhes darei um espírito de sabedoria e lhes revelarei os meus pensamentos.
24 Vocês, porém, rejeitaram o meu convite; ninguém se importou quando estendi minha mão!
25 Visto que desprezaram totalmente o meu conselho e não quiseram aceitar a minha repreensão,
26 eu, de minha parte, vou rir-me da sua desgraça; zombarei quando o que temem se abater sobre vocês,
27 quando aquilo que temem abater-se sobre vocês como uma tempestade, quando a desgraça os atingir como um vendaval, quando a angústia e a dor os dominarem.
28 “Então vocês me chamarão, mas não responderei; procurarão por mim, mas não me encontrarão.
29 Visto que desprezaram o conhecimento e recusaram o temor do Senhor,
30 não quiseram aceitar o meu conselho e fizeram pouco caso da minha advertência,
31 comerão do fruto da sua conduta e se fartarão de suas próprias maquinações.
32 Pois a inconstância dos inexperientes os matará, e a falsa segurança dos tolos os destruirá;
33 mas quem me ouvir viverá em segurança e estará tranqüilo, sem temer nenhum mal”.

PROVÉRBIOS 02 (NVI)

O Valor da Sabedoria

1 Meu filho, se você aceitar as minhas palavras e guardar no coração os meus mandamentos;
2 se der ouvidos à sabedoria e inclinar o coração para o discernimento;
3 se clamar por entendimento e por discernimento gritar bem alto;
4 se procurar a sabedoria como se procura a prata e buscá-la como quem busca um tesouro escondido,
5 então você entenderá o que é temer o Senhor e achará o conhecimento de Deus.
6 Pois o Senhor é quem dá sabedoria; de sua boca procedem o conhecimento e o discernimento.
7 Ele reserva a sensatez para o justo; como um escudo protege quem anda com integridade,
8 pois guarda a vereda do justo e protege o caminho de seus fiéis.
9 Então você entenderá o que é justo, direito e certo, e aprenderá os caminhos do bem.
10 Pois a sabedoria entrará em seu coração, e o conhecimento será agradável à sua alma.
11 O bom senso o guardará,e o discernimento o protegerá.
12 A sabedoria o livrará do caminho dos maus, dos homens de palavras perversas,
13 que abandonam as veredas retas para andarem por caminhos de trevas,
14 têm prazer em fazer o mal,exultam com a maldade dos perversos,
15 andam por veredas tortuosas e no caminho se extraviam.
16 Ela também o livrará da mulher imoral, da pervertidaa que seduz com suas palavras,
17 que abandona aquele que desde a juventude foi seu companheiro e ignora a aliança que fez diante de Deusb.
18 A mulher imoral se dirige para a morte, que é a sua casa, e os seus caminhos levam às sombrasc.
19 Os que a procuram jamais voltarão,nem tornarão a encontrar as veredas da vida.
20 A sabedoria o fará andar nos caminhos dos homens de bem e a manter-se nas veredas dos justos.
21 Pois os justos habitarão na terra,e os íntegros nela permanecerão;
22 mas os ímpios serão eliminados da terra,e dela os infiéis serão arrancados.

PROVÉRBIOS 03 (NVI)

Conselhos da Sabedoria

1 Meu filho, não se esqueça da minha lei,mas guarde no coração os meus mandamentos,
2 pois eles prolongarão a sua vida por muitos anos e lhe darão prosperidade e paz.
3 Que o amor e a fidelidade jamais o abandonem; prenda-os ao redor do seu pescoço, escreva-os na tábua do seu coração.
4 Então você terá o favor de Deus e dos homens, e boa reputação.
5 Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento;
6 reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitaráa as suas veredas.
7 Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema o Senhor e evite o mal.
8 Isso lhe dará saúde ao corpo e vigor aos ossos.
9 Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações;
10 os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho.
11 Meu filho,não despreze a disciplina do Senhor nem se magoe com a sua repreensão,
12 pois o Senhor disciplina a quem ama,assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem.
13 Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento,
14 pois a sabedoria é mais proveitosa do que a prata e rende mais do que o ouro.
15 É mais preciosa do que rubis; nada do que você possa desejar se compara a ela.
16 Na mão direita, a sabedoria lhe garante vida longa; na mão esquerda, riquezas e honra.
17 Os caminhos da sabedoria são caminhos agradáveis, e todas as suas veredas são paz.
18 A sabedoria é árvore que dá vida a quem a abraça; quem a ela se apega será abençoado.
19 Por sua sabedoria o Senhor lançou os alicerces da terra, por seu entendimento fixou no lugar os céus;
20 por seu conhecimento as fontes profundas se rompem, e as nuvens gotejam o orvalho.
21 Meu filho, guarde consigo a sensatez e o equilíbrio, nunca os perca de vista;
22 trarão vida a você e serão um enfeite para o seu pescoço.
23 Então você seguirá o seu caminho em segurança, e não tropeçará;
24 quando se deitar, não terá medo, e o seu sono será tranqüilo.
25 Não terá medo da calamidade repentina nem da ruína que atinge os ímpiosb,
26 pois o Senhor será a sua segurança e o impedirá de cair em armadilha.
27 Quanto lhe for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa.
28 Não diga ao seu próximo: “Volte amanhã, e eu lhe darei algo”, se pode ajudá-lo hoje.
29 Não planeje o mal contra o seu próximo, que confiantemente mora perto de você.
30 Não acuse alguém sem motivo, se ele não lhe fez nenhum mal.
31 Não tenha inveja de quem é violento nem adote nenhum dos seus procedimentos,
32 pois o Senhor detesta o perverso, mas o justo é seu grande amigo.
33 A maldição do Senhor está sobre a casa dos ímpios, mas ele abençoa o lar dos justos.
34 Ele zomba dos zombadores, mas concede graça aos humildes.
35 A honra é herança dos sábios, mas o Senhor expõe os tolos ao ridículo.

PROVÉRBIOS 04 (NVI)

A Sabedoria é Suprema

1 Ouçam, meus filhos,a instrução de um pai; estejam atentos, e obterão discernimento.
2 O ensino que lhes ofereço é bom; por isso não abandonem a minha instrução.
3 Quando eu era menino,ainda pequeno, em companhia de meu pai, um filho muito especial para minha mãe,
4 ele me ensinava e me dizia: “Apegue-se às minhas palavras de todo o coração; obedeça aos meus mandamentos, e você terá vida.
5 Procure obter sabedoria e entendimento; não se esqueça das minhas palavras nem delas se afaste.
6 Não abandone a sabedoria, e ela o protegerá; ame-a, e ela cuidará de você.
7 O conselho da sabedoria é:a Procure obter sabedoria; use tudo o que você possui para adquirir entendimento.
8 Dedique alta estima à sabedoria, e ela o exaltará; abrace-a, e ela o honrará.
9 Ela porá um belo diadema sobre a sua cabeça e lhe dará de presente uma coroa de esplendor”.
10 Ouça, meu filho, e aceite o que digo, e você terá vida longa.
11 Eu o conduzi pelo caminho da sabedoria e o encaminhei por veredas retas.
12 Assim, quando você por elas seguir, não encontrará obstáculos; quando correr, não tropeçará.
13 Apegue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida.
14 Não siga pela vereda dos ímpios nem ande no caminho dos maus.
15 Evite-o, não passe por ele; afaste-se e não se detenha.
16 Porque eles não conseguem dormir enquanto não fazem o mal; perdem o sono se não causarem a ruína de alguém.
17 Pois eles se alimentam de maldade, e se embriagam de violência.
18 A vereda do justo é como a luz da alvorada, que brilha cada vez mais até a plena claridade do dia.
19 Mas o caminho dos ímpios é como densas trevas; nem sequer sabem em que tropeçam.
20 Meu filho, escute o que lhe digo; preste atenção às minhas palavras.
21 Nunca as perca de vista; guarde-as no fundo do coração,
22 pois são vida para quem as encontra e saúde para todo o seu ser.
23 Acima de tudo, guarde o seu coraçãob pois dele depende toda a sua vida.
24 Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade.
25 Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você.
26 Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros.
27 Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade.

PROVÉRBIOS 05 (NVI)

Advertência contra o Adultério

1 Meu filho, dê atenção à minha sabedoria, incline os ouvidos para perceber o meu discernimento.
2 Assim você manterá o bom senso, e os seus lábios guardarão o conhecimento.
3 Pois os lábios da mulher imoral destilam mel; sua voz é mais suave que o azeite,
4 mas no final é amarga como fel,afiada como uma espada de dois gumes.
5 Os seus pés descem para a morte; os seus passos conduzem diretamente para a sepultura.
6 Ela nem percebe que anda por caminhos tortuosos, e não enxerga a vereda da vida.
7 Agora, então, meu filho, ouça-me; não se desvie das minhas palavras.
8 Fique longe dessa mulher;não se aproxime da porta de sua casa,
9 para que você não entregue aos outros o seu vigor nem a sua vida a algum homem cruel,
10 para que estranhos não se fartem do seu trabalho e outros não se enriqueçam à custa do seu esforço.
11 No final da vida você gemerá,com sua carne e seu corpo desgastados.
12 Você dirá: “Como odiei a disciplina! Como o meu coração rejeitou a repreensão!
13 Não ouvi os meus mestres nem escutei os que me ensinavam.
14 Cheguei à beira da ruína completa, à vista de toda a comunidade”.
15 Beba das águas da sua cisterna, das águas que brotam do seu próprio poço.
16 Por que deixar que as suas fontes transbordem pelas ruas, e os seus ribeiros pelas praças?
17 Que elas sejam exclusivamente suas, nunca repartidas com estranhos.
18 Seja bendita a sua fonte! Alegre-se com a esposa da sua juventude.
19 Gazela amorosa, corça graciosa; que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela.
20 Por que, meu filho, ser desencaminhado pela mulher imoral? Por que abraçar o seio de uma levianaa?
21 O Senhor vê os caminhos do homem e examina todos os seus passos.
22 As maldades do ímpio o prendem; ele se torna prisioneiro das cordas do seu pecado.
23 Certamente morrerá por falta de disciplina; andará cambaleando por causa da sua insensatez.

PROVÉRBIOS 06 (NVI)

Advertências contra a Insensatez

1 Meu filho, se você serviu de fiador do seu próximo, se, com um aperto de mãos, empenhou-se por um estranho
2 e caiu na armadilha das palavras que você mesmo disse, está prisioneiro do que falou.
3 Então, meu filho, uma vez que você caiu nas mãos do seu próximo, vá e humilhe-se; insista, incomode o seu próximo!
4 Não se entregue ao sono,não procure descansar.
5 Livre-se como a gazela se livra do caçador,como a ave do laço que a pode prender.
6 Observe a formiga, preguiçoso,reflita nos caminhos dela e seja sábio!
7 Ela não tem nem chefe, nem supervisor, nem governante,
8 e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento.
9 Até quando você vai ficar deitado, preguiçoso? Quando se levantará de seu sono?
10 Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar,
11 a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante, e a sua necessidade lhe sobrevirá como um homem armado.
12 O perverso não tem caráter. Anda de um lado para o outro dizendo coisas maldosas;
13 pisca o olho, arrasta os pés e faz sinais com os dedos;
14 tem no coração o propósito de enganar; planeja sempre o mal e semeia discórdia.
15 Por isso a desgraça se abaterá repentinamente sobre ele; de um golpe será destruído,irremediavelmente.
16 Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta:
17 olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,
18 coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal,
19 a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.

Advertências contra o Adultério

20 Meu filho,obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe.
21 Amarre-os sempre junto ao coração;ate-os ao redor do pescoço.
22 Quando você andar, eles o guiarão; quando dormir, o estarão protegendo; quando acordar, falarão com você.
23 Pois o mandamento é lâmpada, a instrução é luz, e as advertências da disciplina são o caminho que conduz à vida;
24 eles o protegerão da mulher imoral, e dos falsos elogios da mulher levianaa.
25 Não cobice em seu coração a sua beleza nem se deixe seduzir por seus olhares,
26 pois o preço de uma prostituta é um pedaço de pão, mas a adúltera sai à caça de vidas preciosas.
27 Pode alguém colocar fogo no peito sem queimar a roupa?
28 Pode alguém andar sobre brasas sem queimar os pés?
29 Assim acontece com quem se deita com mulher alheia; ninguém que a toque ficará sem castigo.
30 O ladrão não é desprezado se, faminto, rouba para matar a fome.b
31 Contudo, se for pego, deverá pagar sete vezes o que roubou, embora isso lhe custe tudo o que tem em casa.
32 Mas o homem que comete adultério não tem juízo; todo aquele que assim procede a si mesmo se destrói.
33 Sofrerá ferimentos e vergonha, e a sua humilhação jamais se apagará,
34 pois o ciúme desperta a fúria do marido, que não terá misericórdia quando se vingar.
35 Não aceitará nenhuma compensação; os melhores presentes não o acalmarão.

PROVÉRBIOS 07 (NVI)

Advertência contra a Mulher Adúltera

1 Meu filho, obedeça às minhas palavras e no íntimo guarde os meus mandamentos.
2 Obedeça aos meus mandamentos,e você terá vida; guarde os meus ensinos como a menina dos seus olhos.
3 Amarre-os aos dedos; escreva-os na tábua do seu coração.
4 Diga à sabedoria: “Você é minha irmã”, e chame ao entendimento seu parente;
5 eles o manterão afastado da mulher imoral, da mulher levianaa com suas palavras sedutoras.
6 Da janela de minha casa olhei através da grade
7 e vi entre os inexperientes, no meio dos jovens, um rapaz sem juízo.
8 Ele vinha pela rua, próximo à esquina de certa mulher, andando em direção à casa dela.
9 Era crepúsculo, o entardecer do dia, chegavam as sombras da noite, crescia a escuridão.
10 A mulher veio então ao seu encontro, vestida como prostituta, cheia de astúcia no coração.
11 (Ela é espalhafatosa e provocadora, seus pés nunca param em casa;
12 uma hora na rua, outra nas praças,em cada esquina fica à espreita.)
13 Ela agarrou o rapaz,beijou-o e lhe disse descaradamente:
14 “Tenho em casa a carne dos sacrifícios de comunhãob, que hoje fiz para cumprir os meus votos.
15 Por isso saí para encontrá-lo; vim à sua procura e o encontrei!
16 Estendi sobre o meu leito cobertas de linho fino do Egito.
17 Perfumei a minha cama com mirra, aloés e canela.
18 Venha, vamos embriagar-nos de carícias até o amanhecer; gozemos as delícias do amor!
19 Pois o meu marido não está em casa;partiu para uma longa viagem.
20 Levou uma bolsa cheia de prata e não voltará antes da lua cheia”.
21 Com a sedução das palavras o persuadiu, e o atraiu com o dulçor dos lábios.
22 Imediatamente ele a seguiu como o boi levado ao matadouro, ou como o cervo que vai cair no laçoc
23 até que uma flecha lhe atravesse o fígado, ou como o pássaro que salta para dentro do alçapão, sem saber que isso lhe custará a vida.
24 Então, meu filho, ouça-me; dê atenção às minhas palavras.
25 Não deixe que o seu coração se volte para os caminhos dela, nem se perca em tais veredas.
26 Muitas foram as suas vítimas; os que matou são uma grande multidão.
27 A casa dela é um caminho que desce para a sepultura, para as moradas da morte.

PROVÉRBIOS 08 (NVI)

O Chamado da Sabedoria

1 A sabedoria está clamando,o discernimento ergue a sua voz;
2 nos lugares altos, junto ao caminho,nos cruzamentos ela se coloca;
3 ao lado das portas,à entrada da cidade,portas adentro, ela clama em alta voz:
4 “A vocês, homens, eu clamo;a todos levanto a minha voz.
5 Vocês, inexperientes,adquiram a prudência;e vocês, tolos, tenham bom senso.
6 Ouçam, pois tenho coisas importantes para dizer; os meus lábios falarão do que é certo.
7 Minha boca fala a verdade,pois a maldade causa repulsa aos meus lábios.
8 Todas as minhas palavras são justas; nenhuma delas é distorcida ou perversa.
9 Para os que têm discernimento,são todas claras,e retas para os que têm conhecimento.
10 Prefiram a minha instrução à prata,e o conhecimento ao ouro puro,
11 pois a sabedoria é mais preciosa do que rubis; nada do que vocês possam desejar compara-se a ela.
12 “Eu, a sabedoria, moro com a prudência, e tenho o conhecimento que vem do bom senso.
13 Temer o Senhor é odiar o mal;odeio o orgulho e a arrogância,o mau comportamento e o falar perverso.
14 Meu é o conselho sensato;a mim pertencem o entendimento e o poder.
15 Por meu intermédio os reis governam,e as autoridades exercem a justiça;
16 também por meu intermédio governam os nobres, todos os juízes da terra.
17 Amo os que me amam, e quem me procura me encontra.
18 Comigo estão riquezas e honra, prosperidade e justiça duradouras.
19 Meu fruto é melhor do que o ouro, do que o ouro puro; o que ofereço é superior à prata escolhida.
20 Ando pelo caminho da retidão,pelas veredas da justiça,
21 concedendo riqueza aos que me amam e enchendo os seus tesouros.
22 “O Senhor me crioua como o princípio de seu caminhob,antes das suas obras mais antigas;
23 fui formada desde a eternidade, desde o princípio, antes de existir a terra.
24 Nasci quando ainda não havia abismos,quando não existiam fontes de águas;
25 antes de serem estabelecidos os montes e de existirem colinas eu nasci.
26 Ele ainda não havia feito a terra, nem os campos, nem o pó com o qual formou o mundo.
27 Quando ele estabeleceu os céus,lá estava eu; quando traçou o horizonte sobre a superfície do abismo,
28 quando colocou as nuvens em cima e estabeleceu as fontes do abismo,
29 quando determinou as fronteiras do mar para que as águas não violassem a sua ordem, quando marcou os limites dos alicerces da terra,
30 eu estava ao seu lado, e era o seu arquiteto; dia a dia eu era o seu prazer e me alegrava continuamente com a sua presença.
31 Eu me alegrava com o mundo que ele criou,e a humanidade me dava alegria.
32 “Ouçam-me agora, meus filhos: Como são felizes os que guardam os meus caminhos!
33 Ouçam a minha instrução, e serão sábios.Não a desprezem.
34 Como é feliz o homem que me ouve, vigiando diariamente à minha porta, esperando junto às portas da minha casa.
35 Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor.
36 Mas aquele que de mim se afasta, a si mesmo se agride; todos os que me odeiam amam a morte”.

PROVÉRBIOS 09 (NVI)

Os Convites da Sabedoria e da Insensatez

1 A sabedoria construiu sua casa; ergueu suas sete colunas.
2 Matou animais para a refeição,preparou seu vinho e arrumou sua mesa.
3 Enviou suas servas para fazerem convites desde o ponto mais alto da cidade,clamando:
4 “Venham todos os inexperientes!” Aos que não têm bom senso ela diz:
5 “Venham comer a minha comida e beber o vinho que preparei.
6 Deixem a insensatez, e vocês terão vida; andem pelo caminho do entendimento.
7 “Quem corrige o zombador traz sobre si o insulto; quem repreende o ímpio mancha o próprio nome.
8 Não repreenda o zombador, caso contrário ele o odiará; repreenda o sábio, e ele o amará.
9 Instrua o homem sábio, e ele será ainda mais sábio; ensine o homem justo, e ele aumentará o seu saber.
10 “O temor do Senhor é o princípioa da sabedoria, e o conhecimento do Santo é entendimento.
11 Pois por meu intermédio os seus dias serão multiplicados, e o tempo da sua vida se prolongará.
12 Se você for sábio, o benefício será seu; se for zombador, sofrerá as conseqüências”.
13 A insensatez é pura exibição, sedução e ignorância.
14 Sentada à porta de sua casa,no ponto mais alto da cidade,
15 clama aos que passam por ali seguindo o seu caminho:
16 “Venham todos os inexperientes!” Aos que não têm bom senso ela diz:
17 “A água roubada é doce,e o pão que se come escondido é saboroso!”
18 Mas eles nem imaginam que ali estão os espíritos dos mortosb, que os seus convidados estão nas profundezas da sepultura.

PROVÉRBIOS 10 (NVI)

Provérbios de Salomão

1 Provérbios de Salomão: O filho sábio dá alegria ao pai; o filho tolo dá tristeza à mãe.
2 Os tesouros de origem desonesta não servem para nada, mas a retidão livra da morte.
3 O Senhor não deixa o justo passar fome, mas frustra a ambição dos ímpios.
4 As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza.
5 Aquele que faz a colheita no verão é filho sensato, mas aquele que dorme durante a ceifa é filho que causa vergonha.
6 As bênçãos coroam a cabeça dos justos, mas a boca dos ímpios abriga a violência.
7 A memória deixada pelos justos será uma bênção, mas o nome dos ímpios apodrecerá.
8 Os sábios de coração aceitam mandamentos, mas a boca do insensato o leva à ruína.
9 Quem anda com integridade anda com segurança, mas quem segue veredas tortuosas será descoberto.
10 Aquele que pisca maliciosamente causa tristeza, e a boca do insensato o leva à ruína.
11 A boca do justo é fonte de vida,mas a boca dos ímpios abriga a violência.
12 O ódio provoca dissensão,mas o amor cobre todos os pecados.
13 A sabedoria está nos lábios dos que têm discernimento, mas a vara é para as costas daquele que não tem juízo.
14 Os sábios acumulam conhecimento, mas a boca do insensato é um convite à ruína.
15 A riqueza dos ricos é a sua cidade fortificada, mas a pobreza é a ruína dos pobres.
16 O salário do justo lhe traz vida, mas a renda do ímpio lhe traz castigo.
17 Quem acolhe a disciplina mostra o caminho da vida, mas quem ignora a repreensão desencaminha outros.
18 Quem esconde o ódio tem lábios mentirosos, e quem espalha calúnia é tolo.
19 Quando são muitas as palavras o pecado está presente, mas quem controla a língua é sensato.
20 A língua dos justos é prata escolhida, mas o coração dos ímpios quase não tem valor.
21 As palavras dos justos dão sustento a muitos, mas os insensatos morrem por falta de juízo.
22 A bênção do Senhor traz riqueza,e não inclui dor alguma.
23 O tolo encontra prazer na má conduta, mas o homem cheio de entendimento deleita-se na sabedoria.
24 O que o ímpio teme lhe acontecerá; o que os justos desejam lhes será concedido.
25 Passada a tempestade, o ímpio já não existe, mas o justo permanece firme para sempre.
26 Como o vinagre para os dentes e a fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o enviam.
27 O temor do Senhor prolonga a vida, mas a vida do ímpio é abreviada.
28 O que o justo almeja redunda em alegria,mas as esperanças dos ímpios dão em nada.
29 O caminho do Senhor é o refúgio dos íntegros, mas é a ruína dos que praticam o mal.
30 Os justos jamais serão desarraigados, mas os ímpios pouco duram na terra.
31 A boca do justo produz sabedoria, mas a língua perversa será extirpada.
32 Os lábios do justo sabem o que é próprio, mas a boca dos ímpios só conhece a perversidade.

PROVÉRBIOS 11 (NVI)

1 O Senhor repudia balanças desonestas, mas os pesos exatos lhe dão prazer.
2 Quando vem o orgulho, chega a desgraça, mas a sabedoria está com os humildes.
3 A integridade dos justos os guia, mas a falsidade dos infiéis os destrói.
4 De nada vale a riqueza no dia da ira divina, mas a retidão livra da morte.
5 A retidão dos irrepreensíveis lhes abre um caminho reto, mas os ímpios são abatidos por sua própria impiedade.
6 A justiça dos justos os livra, mas o desejo dos infiéis os aprisiona.
7 Quando morre o ímpio, sua esperança perece; tudo o que ele esperava do seu poder dá em nada.
8 O justo é salvo das tribulações, e estas são transferidas para o ímpio.
9 Com a boca o ímpio pretende destruir o próximo, mas pelo seu conhecimento o justo se livra.
10 Quando os justos prosperam, a cidade exulta; quando os ímpios perecem, há cantos de alegria.
11 Pela bênção dos justos a cidade é exaltada, mas pela boca dos ímpios é destruída.
12 O homem que não tem juízo ridiculariza o seu próximo, mas o que tem entendimento refreia a língua.
13 Quem muito fala trai a confidência, mas quem merece confiança guarda o segredo.
14 Sem diretrizes a nação cai; o que a salva é ter muitos conselheiros.
15 Quem serve de fiador certamente sofrerá, mas quem se nega a fazê-lo está seguro.
16 A mulher bondosa conquista o respeito, mas os homens cruéisa só conquistam riquezas.
17 Quem faz o bem aos outros, a si mesmo o faz; o homem cruel causa o seu próprio mal.
18 O ímpio recebe salários enganosos, mas quem semeia a retidão colhe segura recompensa.
19 Quem permanece na justiça viverá, mas quem sai em busca do mal corre para a morte.
20 O Senhor detesta os perversos de coração, mas os de conduta irrepreensível dão-lhe prazer.
21 Esteja certo de que os ímpios não ficarão sem castigo, mas os justos serão poupados.
22 Como anel de ouro em focinho de porco, assim é a mulher bonita, mas indiscreta.
23 O desejo dos justos resulta em bem; a esperança dos ímpios, em ira.
24 Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza.
25 O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá.
26 O povo amaldiçoa aquele que esconde o trigo, mas a bênção coroa aquele que logo se dispõe a vendê-lo.
27 Quem procura o bem será respeitado; já o mal vai de encontro a quem o busca.
28 Quem confia em suas riquezas certamente cairá, mas os justos florescerão como a folhagem verdejante.
29 Quem causa problemas à sua família herdará somente vento; o insensato será servo do sábio.
30 O fruto da retidão é árvore de vida, e aquele que conquista almasb é sábio.
31 Se os justos recebem na terra a punição que merecem, quanto mais o ímpio e o pecador!

PROVÉRBIOS 12 (NVI)

1 Todo o que ama a disciplina ama o conhecimento, mas aquele que odeia a repreensão é tolo.
2 O homem bom obtém o favor do Senhor, mas o que planeja maldades o Senhor condena.
3 Ninguém consegue se firmar mediante a impiedade, e não se pode desarraigar o justo.
4 A mulher exemplar é a coroa do seu marido, mas a de comportamento vergonhoso é como câncer em seus ossos.
5 Os planos dos justos são retos, mas o conselho dos ímpios é enganoso.
6 As palavras dos ímpios são emboscadas mortais, mas quando os justos falam há livramento.
7 Os ímpios são derrubados e desaparecem, mas a casa dos justos permanece firme.
8 O homem é louvado segundo a sua sabedoria, mas o que tem o coração perverso é desprezado.
9 Melhor é não ser ninguém e, ainda assim, ter quem o sirva, do que fingir ser alguém e não ter comida.
10 O justo cuida bem dos seus rebanhos, mas até os atos mais bondosos dos ímpios são cruéis.
11 Quem trabalha a sua terra terá fartura de alimento, mas quem vai atrás de fantasias não tem juízo.
12 Os ímpios cobiçam o despojo tomado pelos maus, mas a raiz do justo floresce.
13 O mau se enreda em seu falar pecaminoso, mas o justo não cai nessas dificuldades.
14 Do fruto de sua boca o homem se beneficia, e o trabalho de suas mãos será recompensado.
15 O caminho do insensato parece-lhe justo, mas o sábio ouve os conselhos.
16 O insensato revela de imediato o seu aborrecimento, mas o homem prudente ignora o insulto.
17 A testemunha fiel dá testemunho honesto, mas a testemunha falsa conta mentiras.
18 Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura.
19 Os lábios que dizem a verdade permanecem para sempre, mas a língua mentirosa dura apenas um instante.
20 O engano está no coração dos que maquinam o mal, mas a alegria está entre os que promovem a paz.
21 Nenhum mal atingirá o justo, mas os ímpios estão cobertos de problemas.
22 O Senhor odeia os lábios mentirosos, mas se deleita com os que falam a verdade.
23 O homem prudente não alardeia o seu conhecimento, mas o coração dos tolos derrama insensatez.
24 As mãos diligentes governarão, mas os preguiçosos acabarão escravos.
25 O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima.
26 O homem honesto é cauteloso em suas amizadesa, mas o caminho dos ímpios os leva a perder-se.
27 O preguiçoso não aproveita a sua caça, mas o diligente dá valor a seus bens.
28 No caminho da justiça está a vida; essa é a vereda que nos preserva da morte.

PROVÉRBIOS 13 (NVI)

1 O filho sábio acolhe a instrução do pai, mas o zombador não ouve a repreensão.
2 Do fruto de sua boca o homem desfruta coisas boas, mas o que os infiéis desejam é violência.
3 Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando.
4 O preguiçoso deseja e nada consegue, mas os desejos do diligente são amplamente satisfeitos.
5 Os justos odeiam o que é falso, mas os ímpios trazem vergonha e desgraça.
6 A retidão protege o homem íntegro, mas a impiedade derruba o pecador.
7 Alguns fingem que são ricos e nada têm; outros fingem que são pobres, e têm grande riqueza.
8 As riquezas de um homem servem de resgate para a sua vida, mas o pobre nunca recebe ameaças.
9 A luz dos justos resplandece esplendidamente, mas a lâmpada dos ímpios apaga-se.
10 O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselho.
11 O dinheiro ganho com desonestidade diminuirá, mas quem o ajunta aos poucos terá cada vez mais.
12 A esperança que se retarda deixa o coração doente, mas o anseio satisfeito é árvore de vida.
13 Quem zomba da instrução pagará por ela, mas aquele que respeita o mandamento será recompensado.
14 O ensino dos sábios é fonte de vida, e afasta o homem das armadilhas da morte.
15 O bom entendimento conquista favor, mas o caminho do infiel é ásperoa.
16 Todo homem prudente age com base no conhecimento, mas o tolo expõe a sua insensatez.
17 O mensageiro ímpio cai em dificuldade, mas o enviado digno de confiança traz a cura.
18 Quem despreza a disciplina cai na pobreza e na vergonha, mas quem acolhe a repreensão recebe tratamento honroso.
19 O anseio satisfeito agrada a alma, mas o tolo detesta afastar-se do mal.
20 Aquele que anda com os sábios será cada vez mais sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal.
21 O infortúnio persegue o pecador, mas a prosperidade é a recompensa do justo.
22 O homem bom deixa herança para os filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é armazenada para os justos.
23 A lavoura do pobre produz alimento com fartura, mas por falta de justiça ele o perde.
24 Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo.
25 O justo come até satisfazer o apetite, mas os ímpios permanecem famintos.

PROVÉRBIOS 14 (NVI)

1 A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata derruba a sua.
2 Quem anda direito teme o Senhor, mas quem segue caminhos enganosos o despreza.
3 A conversa do insensato traz a vara para as suas costas, mas os lábios dos sábios os protegem.
4 Onde não há bois o celeiro fica vazio, mas da força do boi vem a grande colheita.
5 A testemunha sincera não engana, mas a falsa transborda em mentiras.
6 O zombador busca sabedoria e nada encontra, mas o conhecimento vem facilmente ao que tem discernimento.
7 Mantenha-se longe do tolo, pois você não achará conhecimento no que ele falar.
8 A sabedoria do homem prudente é discernir o seu caminho, mas a insensatez dos tolos é enganosa.
9 Os insensatos zombam da idéia de reparar o pecado cometido, mas a boa vontade está entre os justos.
10 Cada coração conhece a sua própria amargura, e não há quem possa partilhar sua alegria.
11 A casa dos ímpios será destruída, mas a tenda dos justos florescerá.
12 Há caminho que parece certo ao homem, mas no final conduz à morte.
13 Mesmo no riso o coração pode sofrer, e a alegria pode terminar em tristeza.
14 Os infiéis receberão a retribuição de sua conduta, mas o homem bom será recompensado.
15 O inexperiente acredita em qualquer coisa, mas o homem prudente vê bem onde pisa.
16 O sábio é cautelosoa e evita o mal, mas o tolo é impetuoso e irresponsável.
17 Quem é irritadiço faz tolices,e o homem cheio de astúcias é odiado.
18 Os inexperientes herdam a insensatez,mas o conhecimento é a coroa dos prudentes.
19 Os maus se inclinarão diante dos homens de bem, e os ímpios, às portas da justiça.
20 Os pobres são evitados até por seus vizinhos, mas os amigos dos ricos são muitos.
21 Quem despreza o próximo comete pecado, mas como é feliz quem trata com bondade os necessitados!
22 Não é certo que se perdem os que só pensam no mal? Mas os que planejam o bem encontramb amor e fidelidade.
23 Todo trabalho árduo traz proveito, mas o só falar leva à pobreza.
24 A riqueza dos sábios é a sua coroa, mas a insensatez dos tolos produz apenas insensatez.
25 A testemunha que fala a verdade salva vidas, mas a testemunha falsa é enganosa.
26 Aquele que teme o Senhor possui uma fortaleza segura, refúgio para os seus filhos.
27 O temor do Senhor é fonte de vida, e afasta das armadilhas da morte.
28 Uma grande população é a glória do rei, mas, sem súditos, o príncipe está arruinado.
29 O homem paciente dá prova de grande entendimento, mas o precipitado revela insensatez.
30 O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos.
31 Oprimir o pobre é ultrajar o seu Criador, mas tratar com bondade o necessitado é honrar a Deus.
32 Quando chega a calamidade, os ímpios são derrubados; os justos, porém, até em face da morte encontram refúgio.
33 A sabedoria repousa no coração dos que têm discernimento, e mesmo entre os tolos ela se deixa conhecerc.
34 A justiça engrandece a nação, mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo.
35 O servo sábio agrada o rei, mas o que procede vergonhosamente incorre em sua ira.

PROVÉRBIOS 15 (NVI)

1 A resposta calma desvia a fúria,mas a palavra ríspida desperta a ira.
2 A língua dos sábios torna atraente o conhecimento, mas a boca dos tolos derrama insensatez.
3 Os olhos do Senhor estão em toda parte, observando atentamente os maus e os bons.
4 O falar amável é árvore de vida, mas o falar enganoso esmaga o espírito.
5 O insensato faz pouco caso da disciplina de seu pai, mas quem acolhe a repreensão revela prudência.
6 A casa do justo contém grande tesouro, mas os rendimentos dos ímpios lhes trazem inquietação.
7 As palavras dos sábios espalham conhecimento; mas o coração dos tolos não é assim.
8 O Senhor detesta o sacrifício dos ímpios,mas a oração do justo o agrada.
9 O Senhor detesta o caminho dos ímpios, mas ama quem busca a justiça.
10 Há uma severa lição para quem abandona o seu caminho; quem despreza a repreensão morrerá.
11 A Sepultura e a Destruiçãoa estão abertas diante do Senhor;quanto mais os corações dos homens!
12 O zombador não gosta de quem o corrige, nem procura a ajuda do sábio.
13 A alegria do coração transparece no rosto,mas o coração angustiado oprime o espírito.
14 O coração que sabe discernir busca o conhecimento, mas a boca dos tolos alimenta-se de insensatez.
15 Todos os dias do oprimido são infelizes,mas o coração bem disposto está sempre em festa.
16 É melhor ter pouco com o temor do Senhor do que grande riqueza com inquietação.
17 É melhor ter verduras na refeição onde há amor do que um boi gordo acompanhado de ódio.
18 O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão.
19 O caminho do preguiçoso é cheio de espinhos, mas o caminho do justo é uma estrada plana.
20 O filho sábio dá alegria a seu pai, mas o tolo despreza a sua mãe.
21 A insensatez alegra quem não tem bom senso, mas o homem de entendimento procede com retidão.
22 Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros.
23 Dar resposta apropriadab é motivo de alegria; e como é bom um conselho na hora certa!
24 O caminho da vida conduz para cima quem é sensato, para que ele não desça à sepultura.
25 O Senhor derruba a casa do orgulhoso, mas mantém intactos os limites da propriedade da viúva.
26 O Senhor detesta os pensamentos dos maus, mas se agrada de palavras ditas sem maldade.
27 O avarento põe sua família em apuros, mas quem repudia o suborno viverá.
28 O justo pensa bem antes de responder, mas a boca dos ímpios jorra o mal.
29 O Senhor está longe dos ímpios, mas ouve a oração dos justos.
30 Um olhar animador dá alegria ao coração, e as boas notícias revigoram os ossos.
31 Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios.
32 Quem recusa a disciplina faz pouco caso de si mesmo, mas quem ouve a repreensão obtém entendimento.
33 O temor do Senhor ensina a sabedoria,c e a humildade antecede a honra.

PROVÉRBIOS 16 (NVI)

1 Ao homem pertencem os planos do coração,mas do Senhor vem a resposta da língua.
2 Todos os caminhos do homem lhe parecem puros, mas o Senhor avalia o espírito.
3 Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.
4 O Senhor faz tudo com um propósito; até os ímpios para o dia do castigo.
5 O Senhor detesta os orgulhosos de coração. Sem dúvida serão punidos.
6 Com amor e fidelidade se faz expiação pelo pecado; com o temor do Senhor o homem evita o mal.
7 Quando os caminhos de um homem são agradáveis ao Senhor, ele faz que até os seus inimigos vivam em paz com ele.
8 É melhor ter pouco com retidão do que muito com injustiça.
9 Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos.
10 Os lábios do rei falam com grande autoridade; sua boca não deve trair a justiça.
11 Balanças e pesos honestos vêm do Senhor; todos os pesos da bolsa são feitos por ele.
12 Os reis detestam a prática da maldade, porquanto o trono se firma pela justiça.
13 O rei se agrada dos lábios honestos, e dá valor ao homem que fala a verdade.
14 A ira do rei é um mensageiro da morte, mas o homem sábio a acalmará.
15 Alegria no rosto do rei é sinal de vida; seu favor é como nuvem de chuva na primavera.
16 É melhor obter sabedoria do que ouro! É melhor obter entendimento do que prata!
17 A vereda do justo evita o mal;quem guarda o seu caminho preserva a sua vida.
18 O orgulho vem antes da destruição;o espírito altivo, antes da queda.
19 Melhor é ter espírito humilde entre os oprimidos do que partilhar despojos com os orgulhosos.
20 Quem examina cada questão com cuidado prospera,a e feliz é aquele que confia no Senhor.
21 O sábio de coração é considerado prudente; quem fala com equilíbrio promove a instruçãob.
22 O entendimento é fonte de vida para aqueles que o têm, mas a insensatez traz castigo aos insensatos.
23 O coração do sábio ensina a sua boca, e os seus lábios promovem a instrução.
24 As palavras agradáveis são como um favo de mel, são doces para a alma e trazem cura para os ossos.
25 Há caminho que parece reto ao homem, mas no final conduz à morte.
26 O apetite do trabalhador o obriga a trabalhar; a sua fome o impulsiona.
27 O homem sem caráter maquina o mal; suas palavras são um fogo devorador.
28 O homem perverso provoca dissensão,e o que espalha boatos afasta bons amigos.
29 O violento recruta o seu próximo e o leva por um caminho ruim.
30 Quem pisca os olhos planeja o mal;quem franze os lábios já o vai praticar.
31 O cabelo grisalho é uma coroa de esplendor, e se obtém mediante uma vida justa.
32 Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade.
33 A sorte é lançada no colo, mas a decisão vem do Senhor.

PROVÉRBIOS 17 (NVI)

1 Melhor é um pedaço de pão seco com paz e tranqüilidade do que uma casa onde há banquetesa, e muitas brigas.
2 O servo sábio dominará sobre o filho de conduta vergonhosa, e participará da herança como um dos irmãos.
3 O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o Senhor prova o coração.
4 O ímpio dá atenção aos lábios maus; o mentiroso dá ouvidos à língua destruidora.
5 Quem zomba dos pobres mostra desprezo pelo Criador deles; quem se alegra com a desgraça não ficará sem castigo.
6 Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos, e os pais são o orgulho dos seus filhos.
7 Os lábios arrogantesb não ficam bem ao insensato; muito menos os lábios mentirosos ao governante!
8 O suborno é um recurso fascinante para aquele que o oferece; aonde quer que vá, ele tem sucesso.
9 Aquele que cobre uma ofensa promove amor, mas quem a lança em rosto separa bons amigos.
10 A repreensão faz marca mais profunda no homem de entendimento do que cem açoites no tolo.
11 O homem mau só pende para a rebeldia; por isso um oficial impiedoso será enviado contra ele.
12 Melhor é encontrar uma ursa da qual roubaram os filhotes do que um tolo em sua insensatez.
13 Quem retribui o bem com o mal, jamais deixará de ter mal no seu lar.
14 Começar uma discussão é como abrir brecha num dique; por isso resolva a questão antes que surja a contenda.
15 Absolver o ímpio e condenar o justo são coisas que o Senhor odeia.
16 De que serve o dinheiro na mão do tolo, já que ele não quer obter sabedoria?
17 O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade.
18 O homem sem juízo com um aperto de mãos se compromete e se torna fiador do seu próximo.
19 Quem ama a discussão ama o pecado; quem constrói portas altasc está procurando a sua ruína.
20 O homem de coração perverso não prospera, e o de língua enganosa cai na desgraça.
21 O filho tolo só dá tristeza, e nenhuma alegria tem o pai do insensato.
22 O coração bem disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos.
23 O ímpio aceita às escondidas o suborno para desviar o curso da justiça.
24 O homem de discernimento mantém a sabedoria em vista, mas os olhos do tolo vagueiam até os confins da terra.
25 O filho tolo é a tristeza do seu pai e a amargura daquela que o deu à luz.
26 Não é bom castigar o inocente, nem açoitar quem merece ser honrado.
27 Quem tem conhecimento é comedido no falar, e quem tem entendimento é de espírito sereno.
28 Até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento.

PROVÉRBIOS 18 (NVI)

1 Quem se isola busca interesses egoístas e se rebela contra a sensatez.
2 O tolo não tem prazer no entendimento,mas sim em expor os seus pensamentos.
3 Com a impiedade vem o desprezo,e com a desonra vem a vergonha.
4 As palavras do homem são águas profundas, mas a fonte da sabedoria é um ribeiro que transborda.
5 Não é bom favorecer os ímpios para privar da justiça o justo.
6 As palavras do tolo provocam briga, e a sua conversa atrai açoites.
7 A conversa do tolo é a sua desgraça, e seus lábios são uma armadilha para a sua alma.
8 As palavras do caluniador são como petiscos deliciosos; descem até o íntimo do homem.
9 Quem relaxa em seu trabalho é irmão do que o destrói.
10 O nome do Senhor é uma torre forte; os justos correm para ela e estão seguros.
11 A riqueza dos ricos é a sua cidade fortificada, eles a imaginam como um muro que é impossível escalar.
12 Antes da sua queda o coração do homem se envaidece, mas a humildade antecede a honra.
13 Quem responde antes de ouvir comete insensatez e passa vergonha.
14 O espírito do homem o sustenta na doença, mas o espírito deprimido, quem o levantará?
15 O coração do que tem discernimento adquire conhecimento; os ouvidos dos sábios saem à sua procura.
16 O presente abre o caminho para aquele que o entrega e o conduz à presença dos grandes.
17 O primeiro a apresentar a sua causa parece ter razão, até que outro venha à frente e o questione.
18 Lançar sortes resolve contendas e decide questões entre poderosos.
19 Um irmão ofendido é mais inacessível do que uma cidade fortificada, e as discussões são como as portas trancadas de uma cidadela.
20 Do fruto da boca enche-se o estômago do homem; o produto dos lábios o satisfaz.
21 A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto.
22 Quem encontra uma esposa encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor.
23 O pobre implora misericórdia, mas o rico responde com aspereza.
24 Quem tem muitos amigos pode chegar à ruína, mas existe amigo mais apegado que um irmão.

PROVÉRBIOS 19 (NVI)

1 Melhor é o pobre que vive com integridade do que o tolo que fala perversamente.
2 Não é bom ter zelo sem conhecimento, nem ser precipitado e perder o caminho.
3 É a insensatez do homem que arruína a sua vida, mas o seu coração se ira contra o Senhor.
4 A riqueza traz muitos amigos, mas até o amigo do pobre o abandona.
5 A testemunha falsa não ficará sem castigo, e aquele que despeja mentiras não sairá livre.
6 Muitos adulam o governante, e todos são amigos de quem dá presentes.
7 O pobre é desprezado por todos os seus parentes, quanto mais por seus amigos! Embora os procure, para pedir-lhes ajuda, não os encontra em lugar nenhum.
8 Quem obtém sabedoria ama-se a si mesmo; quem acalenta o entendimento prospera.
9 A testemunha falsa não ficará sem castigo, e aquele que despeja mentiras perecerá.
10 Não fica bem o tolo viver no luxo; quanto pior é o servo dominar príncipes!
11 A sabedoria do homem lhe dá paciência; sua glória é ignorar as ofensas.
12 A ira do rei é como o rugido do leão, mas a sua bondade é como o orvalho sobre a relva.
13 O filho tolo é a ruína de seu pai, e a esposa briguenta é como uma goteira constante.
14 Casas e riquezas herdam-se dos pais, mas a esposa prudente vem do Senhor.
15 A preguiça leva ao sono profundo, e o preguiçoso passa fome.
16 Quem obedece aos mandamentos preserva a sua vida, mas quem despreza os seus caminhos morrerá.
17 Quem trata bem os pobres empresta ao Senhor, e ele o recompensará.
18 Discipline seu filho, pois nisso há esperança; não queira a morte dele.
19 O homem de gênio difícil precisa do castigo; se você o poupar, terá que poupá-lo de novo.
20 Ouça conselhos e aceite instruções,e acabará sendo sábio.
21 Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do Senhor.
22 O que se deseja ver num homem é amor perene;a melhor é ser pobre do que mentiroso.
23 O temor do Senhor conduz à vida: quem o teme pode descansar em paz, livre de problemas.
24 O preguiçoso põe a mão no prato, e não se dá ao trabalho de levá-la à boca!
25 Açoite o zombador, e os inexperientes aprenderão a prudência; repreenda o homem de discernimento, e ele obterá conhecimento.
26 O filho que rouba o pai e expulsa a mãe é causador de vergonha e desonra.
27 Se você parar de ouvir a instrução, meu filho, irá afastar-se das palavras que dão conhecimento.
28 A testemunha corrupta zomba da justiça, e a boca dos ímpios tem fome de iniqüidade.
29 Os castigos estão preparados para os zombadores, e os açoites para as costas dos tolos.

PROVÉRBIOS 20 (NVI)

1 O vinho é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles.
2 O medo que o rei provoca é como o do rugido de um leão; quem o irrita põe em risco a própria vida.
3 É uma honra dar fim a contendas, mas todos os insensatos envolvem-se nelas.
4 O preguiçoso não ara a terra na estação própriaa; mas na época da colheita procura, e não acha nada.
5 Os propósitos do coração do homem são águas profundas, mas quem tem discernimento os traz à tona.
6 Muitos se dizem amigos leais, mas um homem fiel, quem poderá achar?
7 O homem justo leva uma vida íntegra; como são felizes os seus filhos!
8 Quando o rei se assenta no trono para julgar,com o olhar esmiúça todo o mal.
9 Quem poderá dizer: “Purifiquei o coração; estou livre do meu pecado”?
10 Pesos adulterados e medidas falsificadas são coisas que o Senhor detesta.
11 Até a criança mostra o que é por suas ações; o seu procedimento revelará se ela é pura e justa.
12 Os ouvidos que ouvem e os olhos que vêem foram feitos pelo Senhor.
13 Não ame o sono, senão você acabará ficando pobre; fique desperto, e terá alimento de sobra.
14 “Não vale isso! Não vale isso!”, diz o comprador, mas, quando se vai, gaba-se do bom negócio.
15 Mesmo onde há ouro e rubis em grande quantidade, os lábios que transmitem conhecimento são uma rara preciosidade.
16 Tome-se a veste de quem serve de fiador ao estranho; sirva ela de penhor de quem dá garantia a uma mulher levianab.
17 Saborosa é a comida que se obtém com mentiras, mas depois dá areia na boca.
18 Os conselhos são importantes para quem quiser fazer planos, e quem sai à guerra precisa de orientação.
19 Quem vive contando casos não guarda segredo; por isso, evite quem fala demais.
20 Se alguém amaldiçoar seu pai ou sua mãe, a luz de sua vida se extinguirá na mais profunda escuridão.
21 A herança que se obtém com ganância no princípio,c no final não será abençoada.
22 Não diga: “Eu o farei pagar pelo mal que me fez!” Espere pelo Senhor, e ele dará a vitória a você.
23 O Senhor detesta pesos adulterados, e balanças falsificadas não o agradam.
24 Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor. Como poderia alguém discernir o seu próprio caminho?
25 É uma armadilha consagrar algo precipitadamente, e só pensar nas conseqüências depois que se fez o voto.
26 O rei sábio abana os ímpios, e passa sobre eles a roda de debulhar.
27 O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, e vasculha cada parte do seu ser.
28 A bondade e a fidelidade preservam o rei; por sua bondade ele dá firmeza ao seu trono.
29 A beleza dos jovens está na sua força; a glória dos idosos, nos seus cabelos brancos.
30 Os golpes e os ferimentos eliminam o mal; os açoites limpam as profundezas do ser.

PROVÉRBIOS 21 (NVI)

1 O coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer.
2 Todos os caminhos do homem lhe parecem justos, mas o Senhor pesa o coração.
3 Fazer o que é justo e certo é mais aceitável ao Senhor do que oferecer sacrifícios.
4 A vida de pecado dos ímpios se vê no olhar orgulhoso e no coração arrogante.
5 Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre acaba na miséria.
6 A fortuna obtida com língua mentirosa é ilusão fugidia e armadilha mortal.
7 A violência dos ímpios os arrastará, pois recusam-se a agir corretamente.
8 O caminho do culpado é tortuoso, mas a conduta do inocente é reta.
9 Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casacom uma mulher briguenta.
10 O desejo do perverso é fazer o mal; ele não tem dó do próximo.
11 Quando o zombador é castigado,o inexperiente obtém sabedoria; quando o sábio recebe instrução, obtém conhecimento.
12 O justo observa a casa dos ímpios e os faz cair na desgraça.
13 Quem fecha os ouvidos ao clamor dos pobres também clamará e não terá resposta.
14 O presente que se faz em segredo acalma a ira, e o suborno oferecido às ocultas apazigua a maior fúria.
15 Quando se faz justiça, o justo se alegra, mas os malfeitores se apavoram.
16 Quem se afasta do caminho da sensatez repousará na companhia dos mortos.
17 Quem se entrega aos prazeres passará necessidade; quem se apega ao vinho e ao azeite jamais será rico.
18 O ímpio serve de resgate para o justo, e o infiel, para o homem íntegro.
19 Melhor é viver no deserto do que com uma mulher briguenta e amarguradaa.
20 Na casa do sábio há comida e azeite armazenados, mas o tolo devora tudo o que pode.
21 Quem segue a justiça e a lealdade encontra vida, justiça e honra.
22 O sábio conquista a cidade dos valentes e derruba a fortaleza em que eles confiam.
23 Quem é cuidadoso no que fala evita muito sofrimento.
24 O vaidoso e arrogante chama-se zombador; ele age com extremo orgulho.
25 O preguiçoso morre de tanto desejar e de nunca pôr as mãos no trabalho.
26 O dia inteiro ele deseja mais e mais, enquanto o justo reparte sem cessar.
27 O sacrifício dos ímpios já por si é detestável; tanto mais quando oferecido com más intenções.
28 A testemunha falsa perecerá, mas o testemunho do homem bem informado permanecerá.b
29 O ímpio mostra no rosto a sua arrogância, mas o justo mantém em ordem o seu caminho.
30 Não há sabedoria alguma, nem discernimento algum, nem plano algum que possa opor-se ao Senhor.
31 Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, mas o Senhor é que dá a vitória.

PROVÉRBIOS 22 (NVI)

1 A boa reputação vale mais que grandes riquezas; desfrutar de boa estima vale mais que prata e ouro.
2 O rico e o pobre têm isto em comum: o Senhor é o Criador de ambos.
3 O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as conseqüências.
4 A recompensa da humildade e do temor do Senhor são a riqueza, a honra e a vida.
5 No caminho do perverso há espinhos e armadilhas; quem quer proteger a própria vida mantém-se longe dele.
6 Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anosa não se desviará deles.
7 O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta.
8 Quem semeia a injustiça colhe a maldade;o castigo da sua arrogância será completo.
9 Quem é generoso será abençoado,pois reparte o seu pão com o pobre.
10 Quando se manda embora o zombador,a briga acaba;cessam as contendas e os insultos.
11 Quem ama a sinceridade de coração e se expressa com elegância será amigo do rei.
12 Os olhos do Senhor protegem o conhecimento, mas ele frustra as palavras dos infiéis.
13 O preguiçoso diz: “Há um leão lá fora!” “Serei morto na rua!”
14 A conversa da mulher imoral é uma cova profunda; nela cairá quem estiver sob a ira do Senhor.
15 A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela.
16 Tanto quem oprime o pobre para enriquecer-se como quem faz cortesia ao rico, com certeza passarão necessidade.b Ditados dos Sábios

Ditados dos Sábios

17 Preste atenção e ouça os ditados dos sábios, e aplique o coração ao meu ensino.
18 Será uma satisfação guardá-los no íntimo e tê-los todos na ponta da língua.
19 Para que você confie no Senhor, a você hoje ensinarei.
20 Já não lhe escrevi conselhos e instruçõesc,
21 ensinando-lhe palavras dignas de confiança, para que você responda com a verdade a quem o enviou?
22 Não explore os pobres por serem pobres, nem oprima os necessitados no tribunal,
23 pois o Senhor será o advogado deles,e despojará da vida os que os despojarem.
24 Não se associe com quem vive de mau humor, nem ande em companhia de quem facilmente se ira;
25 do contrário você acabará imitando essa conduta e cairá em armadilha mortal.
26 Não seja como aqueles que, com um aperto de mãos, empenham-se com outros e se tornam fiadores de dívidas;
27 se você não tem como pagá-las, por que correr o risco de perder até a cama em que dorme?
28 Não mude de lugar os antigos marcos que limitam as propriedades e que foram colocados por seus antepassados.
29 Você já observou um homem habilidoso em seu trabalho? Será promovido ao serviço real; não trabalhará para gente obscura.

PROVÉRBIOS 23 (NVI)

1 Quando você se assentar para uma refeição com alguma autoridade, observe com atenção quem está diante de você,
2 e encoste a faca à sua própria garganta,se estiver com grande apetite.
3 Não deseje as iguarias que lhe oferece,pois podem ser enganosas.
4 Não esgote suas forças tentando ficar rico; tenha bom senso!
5 As riquezas desaparecem assim que você as contempla; elas criam asas e voam como águias pelo céu.
6 Não aceite a refeição de um hospedeiro invejosoa, nem deseje as iguarias que lhe oferece;
7 pois ele só pensa nos gastos. Ele lhe diz: “Coma e beba!”, mas não fala com sinceridade.
8 Você vomitará o pouco que comeu, e desperdiçará a sua cordialidade.
9 Não vale a pena conversar com o tolo, pois ele despreza a sabedoria do que você fala.
10 Não mude de lugar os antigos marcos de propriedade, nem invada as terras dos órfãos,
11 pois aquele que defende os direitosb deles é forte. Ele lutará contra você para defendê-los.
12 Dedique à disciplina o seu coração, e os seus ouvidos às palavras que dão conhecimento.
13 Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá.
14 Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepulturac.
15 Meu filho, se o seu coração for sábio, o meu coração se alegrará.
16 Sentirei grande alegria quando os seus lábios falarem com retidão.
17 Não inveje os pecadores em seu coração; melhor será que tema sempre o Senhor.
18 Se agir assim, certamente haverá bom futuro para você, e a sua esperança não falhará.
19 Ouça, meu filho, e seja sábio; guie o seu coração pelo bom caminho.
20 Não ande com os que se encharcam de vinho, nem com os que se empanturram de carne.
21 Pois os bêbados e os glutões se empobrecerão, e a sonolência os vestirá de trapos.
22 Ouça o seu pai, que o gerou; não despreze sua mãe quando ela envelhecer.
23 Compre a verdade e não abra mão dela, nem tampouco da sabedoria, da disciplina e do discernimento.
24 O pai do justo exultará de júbilo; quem tem filho sábio nele se alegra.
25 Bom será que se alegrem seu pai e sua mãe e que exulte a mulher que o deu à luz!
26 Meu filho, dê-me o seu coração;mantenha os seus olhos em meus caminhos,
27 pois a prostituta é uma cova profunda, e a mulher pervertidad é um poço estreito.
28 Como o assaltante, ela fica de tocaia, e multiplica entre os homens os infiéis.
29 De quem são os ais? De quem as tristezas? E as brigas, de quem são? E os ferimentos desnecessários? De quem são os olhos vermelhose?
30 Dos que se demoram bebendo vinho, dos que andam à procura de bebida misturada.
31 Não se deixe atrair pelo vinho quando está vermelho, quando cintila no copo e escorre suavemente!
32 No fim, ele morde como serpente e envenena como víbora.
33 Seus olhos verão coisas estranhas, e sua mente imaginará coisas distorcidas.
34 Você será como quem dorme no meio do mar, como quem se deita no alto das cordas do mastro.
35 E dirá: “Espancaram-me, mas eu nada senti! Bateram em mim, mas nem percebi! Quando acordarei para que possa beber mais uma vez?”

PROVÉRBIOS 24 (NVI)

1 Não tenha inveja dos ímpios, nem deseje a companhia deles;
2 pois destruição é o que planejam no coração, e só falam de violência.
3 Com sabedoria se constrói a casa, e com discernimento se consolida.
4 Pelo conhecimento os seus cômodos se enchem do que é precioso e agradável.
5 O homem sábio é poderoso, e quem tem conhecimento aumenta a sua força;
6 quem sai à guerra precisa de orientação, e com muitos conselheiros se obtém a vitória.
7 A sabedoria é elevada demais para o insensato; ele não sabe o que dizer nas assembléias.
8 Quem maquina o mal será conhecido como criador de intrigas.
9 A intriga do insensato é pecado, e o zombador é detestado pelos homens.
10 Se você vacila no dia da dificuldade, como será limitada a sua força!
11 Liberte os que estão sendo levados para a morte; socorra os que caminham trêmulos para a matança!
12 Mesmo que você diga: “Não sabíamos o que estava acontecendo!” Não o perceberia aquele que pesa os corações? Não o saberia aquele que preserva a sua vida? Não retribuirá ele a cada um segundo o seu
procedimento?
13 Coma mel, meu filho. É bom. O favo é doce ao paladar.
14 Saiba que a sabedoria também será boa para a sua alma; se você a encontrar, certamente haverá futuro para você, e a sua esperança não vai decepcioná-lo.
15 Não fique de tocaia, como faz o ímpio, contra a casa do justo, e não destrua o seu local de repouso,
16 pois ainda que o justo caia sete vezes,tornará a erguer-se,mas os ímpios são arrastados pela calamidade.
17 Não se alegre quando o seu inimigo cair, nem exulte o seu coração quando ele tropeçar,
18 para que o Senhor não veja isso, e se desagrade, e desvie dele a sua ira.
19 Não se aborreça por causa dos maus, nem tenha inveja dos ímpios,
20 pois não há futuro para o mau, e a lâmpada dos ímpios se apagará.
21 Tema o Senhor e o rei, meu filho, e não se associe aos dissidentes,
22 pois terão repentina destruição, e quem pode imaginar a ruína que o Senhor e o rei podem causar?

Outros Ditados de Sabedoria

23 Aqui vão outros ditados dos sábios: Agir com parcialidade nos julgamentos não é nada bom.
24 Quem disser ao ímpio: “Você é justo”, será amaldiçoado pelos povos e sofrerá a indignação das nações.
25 Mas os que condenam o culpado terão vida agradável; receberão grandes bênçãos.
26 A resposta sincera é como beijoa nos lábios.b
27 Termine primeiro o seu trabalho a céu aberto; deixe pronta a sua lavoura. Depois constitua famíliac.
28 Não testemunhe sem motivo contra o seu próximo nem use os seus lábios para enganá-lo.
29 Não diga: “Farei com ele o que fez comigo; ele pagará pelo que fez”.
30 Passei pelo campo do preguiçoso, pela vinha do homem sem juízo;
31 havia espinheiros por toda parte, o chão estava coberto de ervas daninhas e o muro de pedra estava em ruínas.
32 Observei aquilo, e fiquei pensando;olhei, e aprendi esta lição:
33 “Vou dormir um pouco”, você diz.“Vou cochilar um momento;vou cruzar os braços e descansar mais um pouco”,
34 mas a pobreza lhe sobrevirá como um assaltante, e a sua miséria como um homem armado.

PROVÉRBIOS 25 (NVI)

Outros Provérbios de Salomão

1 Estes são outros provérbios de Salomão, compilados pelos servos de Ezequias, rei de Judá:
2 A glória de Deus é ocultar certas coisas; tentar descobri-las é a glória dos reis.
3 Assim como o céu é elevado e a terra é profunda, também o coração dos reis é insondável.
4 Quando se retira a escória da prata, nesta se tem material para oa ourives;
5 quando os ímpios são retirados da presença do rei,a justiça firma o seu trono.
6 Não se engrandeça na presença do rei,e não reivindique lugar entre os homens importantes;
7 é melhor que o rei lhe diga:“Suba para cá!”, do que ter que humilhá-lo diante de uma autoridade.
8 não leve precipitadamente ao tribunal, pois o que você fará, se o seu próximo o desacreditar?
9 Procure resolver sua causa diretamente com o seu próximo, e não revele o segredo de outra pessoa,
10 caso contrário, quem o ouvir poderá recriminá-lo, e você jamais perderá sua má reputação.
11 A palavra proferida no tempo certo é como frutas de ouro incrustadas numa esculturab de prata.
12 Como brinco de ouro e enfeite de ouro fino é a repreensão dada com sabedoria a quem se dispõe a ouvir.
13 Como o frescor da neve na época da colheita é o mensageiro de confiança para aqueles que o enviam; ele revigora o ânimo de seus senhores.
14 Como nuvens e ventos sem chuva é aquele que se gaba de presentes que não deu.
15 Com muita paciência pode-se convencer a autoridade, e a língua branda quebra até ossosc.
16 Se você encontrar mel,coma apenas o suficiente, para que não fique enjoado e vomite.
17 Não faça visitas freqüentes à casa do seu vizinho para que ele não se canse de você e passe a odiá-lo.
18 Como um pedaço de pau, uma espada ou uma flecha aguda é o que dá falso testemunho contra o seu próximo.
19 Como dente estragado ou pé deslocado é a confiança nod hipócrita na hora da dificuldade.
20 Como tirar a própria roupa num dia de frio, ou derramar vinagre numa ferida, é cantar com o coração entristecido.
21 Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber.
22 Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele, e o Senhor recompensará você.
23 Como o vento norte traz chuva, assim a língua fingida traz o olhar irado.
24 Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casa com uma mulher briguenta.
25 Como água fresca para a garganta sedenta é a boa notícia que chega de uma terra distante.
26 Como fonte contaminada ou nascente poluída, assim é o justo que fraqueja diante do ímpio.
27 Comer mel demais não é bom, nem é honroso buscar a própria honra.
28 Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se.

PROVÉRBIOS 26 (NVI)

1 Como neve no verão ou chuva na colheita, assim a honra é imprópria para o tolo.
2 Como o pardal que voa em fuga, e a andorinha que esvoaça veloz, assim a maldição sem motivo justo não pega.
3 O chicote é para o cavalo, o freio, para o jumento, e a vara, para as costas do tolo!
4 Não responda ao insensato com igual insensatez, do contrário você se igualará a ele.
5 Responda ao insensato como a sua insensatez merece, do contrário ele pensará que é mesmo um sábio.
6 Como cortar o próprio pé ou beber venenoa, assim é enviar mensagem pelas mãos do tolo.
7 Como pendem inúteis as pernas do coxo, assim é o provérbio na boca do tolo.
8 Como amarrar uma pedra na atiradeira, assim é prestar honra ao insensato.
9 Como ramo de espinhos nas mãos do bêbado, assim é o provérbio na boca do insensato.
10 Como o arqueiro que atira ao acaso, assim é quem contrata o tolo ou o primeiro que passa.
11 Como o cão volta ao seu vômito, assim o insensato repete a sua insensatez.
12 Você conhece alguém que se julga sábio? Há mais esperança para o insensato do que para ele.
13 O preguiçoso diz: “Lá está um leão no caminho, um leão feroz rugindo nas ruas!”
14 Como a porta gira em suas dobradiças, assim o preguiçoso se revira em sua cama.
15 O preguiçoso coloca a mão no prato, mas acha difícil demais levá-la de volta à boca.
16 O preguiçoso considera-se mais sábio do que sete homens que respondem com bom senso.
17 Como alguém que pega pelas orelhas um cão qualquer, assim é quem se mete em discussão alheia.
18 Como o louco que atira brasas e flechas mortais,
19 assim é o homem que engana o seu próximo e diz: “Eu estava só brincando!”
20 Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda.
21 O que o carvão é para as brasas e a lenha para a fogueira, o amigo de brigas é para atiçar discórdias.
22 As palavras do caluniador são como petiscos deliciosos; descem saborosos até o íntimo.
23 Como uma camada de esmalteb sobre um vaso de barro, os lábios amistosos podem ocultar um coração mau.
24 Quem odeia disfarça as suas intenções com os lábios, mas no coração abriga a falsidade.
25 Embora a sua conversa seja mansa, não acredite nele, pois o seu coração está cheio de maldade.
26 Ele pode fingir e esconder o seu ódio, mas a sua maldade será exposta em público.
27 Quem faz uma cova, nela cairá; se alguém rola uma pedra, esta rolará de volta sobre ele.
28 A língua mentirosa odeia aqueles a quem fere, e a boca lisonjeira provoca a ruína.

PROVÉRBIOS 27 (NVI)

1 Não se gabe do dia de amanhã, pois você não sabe o que este ou aquele dia poderá trazer.
2 Que outros façam elogios a você, não a sua própria boca; outras pessoas, não os seus próprios lábios.
3 A pedra é pesada e a areia é um fardo, mas a irritação causada pelo insensato é mais pesada do que as duas juntas.
4 O rancor é cruel e a fúria é destruidora, mas quem consegue suportar a inveja?
5 Melhor é a repreensão feita abertamente do que o amor oculto.
6 Quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo multiplica beijos.
7 Quem está satisfeito despreza o mel, mas para quem tem fome até o amargo é doce.
8 Como a ave que vagueia longe do ninho, assim é o homem que vagueia longe do lar.
9 Perfume e incenso trazem alegria ao coração; do conselho sincero do homem nasce uma bela amizade.
10 Não abandone o seu amigo nem o amigo de seu pai; quando for atingido pela adversidade não vá para a casa de seu irmão; melhor é o vizinho próximo do que o irmão distante.
11 Seja sábio, meu filho, e traga alegria ao meu coração; poderei então responder a quem me desprezar.
12 O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as conseqüências.
13 Tome-se a veste de quem serve de fiador ao estranho; sirva ela de penhor de quem dá garantia a uma mulher levianaa.
14 A bênção dada aos gritos cedo de manhã, como maldição é recebida.
15 A esposa briguenta é como o gotejar constante num dia chuvoso;
16 detê-la é como deter o vento, como apanhar óleo com a mão.
17 Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.
18 Quem cuida de uma figueira comerá de seu fruto, e quem trata bem o seu senhor receberá tratamento de honra.
19 Assim como a água reflete o rosto, o coração reflete quem somos nós.
20 O Sheol e a Destruiçãob são insaciáveis,como insaciáveis são os olhos do homem.
21 O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o que prova o homem são os elogios que recebe.
22 Ainda que você moa o insensato, como trigo no pilão, a insensatez não se afastará dele.
23 Esforce-se para saber bem como suas ovelhas estão, dê cuidadosa atenção aos seus rebanhos,
24 pois as riquezas não duram para sempre,e nada garante que a coroapasse de uma geração a outra.
25 Quando o feno for retirado, surgirem novos brotos e o capim das colinas for colhido,
26 os cordeiros lhe fornecerão roupa, e os bodes lhe renderão o preço de um campo.
27 Haverá fartura de leite de cabra para alimentar você e sua família, e para sustentar as suas servas.

PROVÉRBIOS 28 (NVI)

1 O ímpio foge, embora ninguém o persiga, mas os justos são corajosos como o leão.
2 Os pecados de uma nação fazem mudar sempre os seus governantes, mas a ordem se mantém com um líder sábio e sensato.
3 O pobre que se torna poderoso e oprime os pobres é como a tempestade súbita que destrói toda a plantação.
4 Os que abandonam a lei elogiam os ímpios, mas os que obedecem à lei lutam contra eles.
5 Os homens maus não entendem a justiça, mas os que buscam o Senhor a entendem plenamente.
6 Melhor é o pobre íntegro em sua conduta do que o rico perverso em seus caminhos.
7 Quem obedece à lei é filho sábio, mas o companheiro dos glutões envergonha o pai.
8 Quem aumenta sua riqueza com juros exorbitantes ajunta para algum outro, que será bondoso com os pobres.
9 Se alguém se recusa a ouvir a lei, até suas orações serão detestáveis.
10 Quem leva o homem direito pelo mau caminho cairá ele mesmo na armadilha que preparou, mas o que não se deixa corromper terá boa recompensa.
11 O rico pode até se julgar sábio, mas o pobre que tem discernimento o conhece a fundo.
12 Quando os justos triunfam, há prosperidade gerala, mas, quando os ímpios sobem ao poder, os homens tratam de esconder-se.
13 Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.
14 Como é feliz o homem constante no temor do Senhor! Mas quem endurece o coração cairá na desgraça.
15 Como um leão que ruge ou um urso feroz é o ímpio que governa um povo necessitado.
16 O governante sem discernimento aumenta as opressões, mas os que odeiam o ganho desonesto prolongarão o seu governo.
17 O assassino atormentado pela culpa será fugitivo até a morte; que ninguém o proteja!
18 Quem procede com integridade viverá seguro, mas quem procede com perversidade de repente cairá.
19 Quem lavra sua terra terá comida com fartura, mas quem persegue fantasias se fartará de miséria.
20 O fiel será ricamente abençoado, mas quem tenta enriquecer-se depressa não ficará sem castigo.
21 Agir com parcialidade não é bom; pois até por um pedaço de pão o homem se dispõe a fazer o mal.
22 O invejoso é ávido por riquezas, e não percebe que a pobreza o aguarda.
23 Quem repreende o próximo obterá por fim mais favor do que aquele que só sabe bajular.
24 Quem rouba seu pai ou sua mãe e diz: “Não é errado”, é amigo de quem destrói.
25 O ganancioso provoca brigas, mas quem confia no Senhor prosperará.
26 Quem confia em si mesmo é insensato, mas quem anda segundo a sabedoria não corre perigo.
27 Quem dá aos pobres não passará necessidade, mas quem fecha os olhos para não vê-los sofrerá muitas maldições.
28 Quando os ímpios sobem ao poder, o povo se esconde; mas, quando eles sucumbem, os justos florescem.

PROVÉRBIOS 29 (NVI)

1 Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente.
2 Quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme.
3 O homem que ama a sabedoria dá alegria a seu pai, mas quem anda com prostitutas dá fim à sua fortuna.
4 O rei que exerce a justiça dá estabilidade ao país, mas o que gosta de subornos o leva à ruína.
5 Quem adula seu próximo está armando uma rede para os pés dele.
6 O pecado do homem mau o apanha na sua própria armadilha,a mas o justo pode cantar e alegrar-se.
7 Os justos levam em conta os direitos dos pobres, mas os ímpios nem se importam com isso.
8 Os zombadores agitam a cidade, mas os sábios a apaziguam.
9 Se o sábio for ao tribunal contra o insensato, não haverá paz, pois o insensato se enfurecerá e zombará.
10 Os violentos odeiam os honestos e procuram matar o homem íntegro.
11 O tolo dá vazão à sua ira, mas o sábio domina-se.
12 Para o governante que dá ouvidos a mentiras, todos os seus oficiais são ímpios.
13 O pobre e o opressor têm algo em comum: o Senhor dá vista a ambos.
14 Se o rei julga os pobres com justiça, seu trono estará sempre seguro.
15 A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.
16 Quando os ímpios prosperam, prospera o pecado, mas os justos verão a queda deles.
17 Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma.
18 Onde não há revelação divina, o povo se desvia; mas como é feliz quem obedece à lei!
19 Meras palavras não bastam para corrigir o escravo; mesmo que entenda, não reagirá bem.
20 Você já viu alguém que se precipita no falar? Há mais esperança para o insensato do que para ele.
21 Se alguém mima seu escravo desde jovem, no fim terá tristezas.
22 O homem irado provoca brigas, e o de gênio violento comete muitos pecados.
23 O orgulho do homem o humilha, mas o de espírito humilde obtém honra.
24 O cúmplice do ladrão odeia a si mesmo; posto sob juramento, não ousa testemunhar.
25 Quem teme o homem cai em armadilhas,mas quem confia no Senhor está seguro.
26 Muitos desejam os favoresb do governante, mas é do Senhor que procede a justiça.
27 Os justos detestam os desonestos, já os ímpios detestam os íntegros.